Não se pode transmitir aquilo que não se sabe. Porém, o saber não é tudo. É necessário dominar a arte de ensinar. Disso resulta a necessidade de dois fatores: conhecimento e didática.

O conhecimento diz respeito às competências que os profissionais desenvolveram (e continuam a desenvolver) para atender aos desejos dos clientes, seja aumentar a força física, ampliar o raio de convivência, recuperar uma lesão ou elevar a auto-estima.

O fator didático assume importância quando o profissional estrutura sua comunicação para transmitir ao cliente a informação correta, no momento certo, na quantidade adequada para que seja eficiente.

Por meio do conhecimento e da didática, o profissional poderá escolher a informação adequada para sua interação, ajustando-a com a capacidade de assimilação do cliente. A interação deve ser o resultado de conhecimento, didática e decisões reflexivas sobre como, quando, onde e por que atuar. Não deve ser relegada a um simples automatismo ou à rotina adquirida com o tempo. Faz-se necessário antecipar as necessidades dos clientes, ao invés de apenas reagir a elas quando já estão evidentes.